SUPERIORAS GERAIS

MADRE RITA AMADA DE JESUS

Rita Amada de Jesus – Nome Religioso
Rita Lopes de Almeida – Nome Civil
Fundadora do Instituto Jesus Maria José. Governou de 1880 a 1913 = 33 anos
Naturalidade – Ribafeita, Viseu
Filiação: Pai- Manuel Lopes
Mãe – Josefa de Jesus de Almeida

    Governou com sabedoria e prudência, sendo muitas vezes, visivelmente assistida por Deus e seus Patronos Jesus Maria José.
    Só apenas num período de tempo pequeno, é que Madre Rita foi injustamente afastada do comando do Instituto, quando foi deposta pelo Diretor Espiritual e substituída pela irmã Luísa, superiora incompetente, déspota, que proporcionou a Madre Rita uma grande e meritória epopéia de duras provações.
    Madre Fundadora, Rita Lopes de Almeida, era de uma personalidade dotada de elevadas qualidades e discernimento de espírito. Sabia aliar energia à suavidade; a ousadia à prudência; a intrepidez ao escondi mento, assim sucessivamente, na execução das múltiplas atividades da fundação e direção nascente da Congregação.
    Rita foi assessorada neste empreendimento, pelo Padre José Udalrico da Lapa, da Companhia de Jesus que, durante muitos anos, tomou a seu cuidado a direção espiritual da Congregação.
    Para iniciar a obra, Madre Rita, começou a agregar as jovens que se dispunham a aceitar a formação para a vida Consagrada. Assim, de passo em passo, com a ajuda de alguns sacerdotes, benfeitores e amigos levou em frente, com coragem e audácia, a Obra, que teve a alegria de a ver reconhecida como Congregação Religiosa de Direito Pontifício, aprovada por Sua Santidade, o Papa Leão XIII, e a aprovação das Constituições em 1902. Nesta época, a Congregação estava em plena expansão, em comunidades e em patrimônio adquirido.
    Com a implantação do regime político Republicano e a Revolução, em 1910, foi Decretado que todos os bens móveis e imóveis das irmãs fossem confiscados e houve a dispersão das irmãs. Foi um período de dura prova, angústias e incertezas, com a separação das Irmãs e tantas outras provações inerentes aquela situação. Porém, Rita, não arrefeceu, sua fé e confiança em Deus, eram inabaláveis, sua esperança não se apagou e o seu amor permaneceu vivo. Com coragem, procurou salvar a sua Obra, fruto da inspiração do Espírito Santo.
    “Neste tempo de tanta tribulação, nossa Fundadora conservou-se sempre corajosa e manteve inalterável a sua confiança em Deus.” (PE 235)
    “ Jesus Maria José, recompensaram de modo admirável esta grande confiança, pois conseguiu, em pouco tempo, colocação para as suas religiosas, no Brasil”. (PE 236).
    Era urgente salvar a Congregação em outras terras. A Reverendíssima Madre recorreu ao Senhor Cônego Manuel Damasceno ( pouco depois Bispo de Angra do Heroísmo – Açores), que escreveu a um colega no Brasil e este respondeu positivamente. “ Tratou logo de prevenir e preparar as primeiras irmãs que foram para o Brasil “ ( PE 239 ).
    A 31 de outubro de 1912, a Madre Fundadora sentiu a consolação de enviar o primeiro grupo de irmãs, que foram estabelecer-se na cidade de Igarapava, Estado de São Paulo. Depois, mais um outro grupo. E ainda mais tarde, um terceiro grupo e outros se seguiram, após a morte da Fundadora. Graças a Deus, a Congregação estava salva no Brasil.
Madre Rita, cumpriu sua missão na terra. Acabara de enviar o segundo grupo de Irmãs, que embarcaram para o Brasil, recebeu o passaporte para o céu. Um colapso cardíaco a prostrou duramente, mas calma e serena concentrada em Deus, partiu para a casa do pai a 06 de janeiro de 1913. Morreu santamente em Casalmendinho, Ribafeita – Viseu – Portugal. Apagou-se a luz na terra, outra mais fulgente começou a brilhar no Céu. Agora é nossa intercessora junto de Jesus Maria José, a quem sempre imitou na terra.
    Queremos ressaltar que, Madre Rita era uma mulher caridosa, sempre preocupada com os mais pobres, pois foi esse o objetivo e seu desejo ao fundar a Congregação: Preservar as crianças e jovens do mal.
    Muito corajosa, ela mesma foi a Roma para pedir a aprovação de sua Obra.
    Pelo testemunho das irmãs que conviveram com ela, com os estudos feitos sobre sua vida e obra, as irmãs foram unânimes em dizer que era mais que justo iniciar o processo de Canonização de Madre Rita. Foi o que aconteceu na gestão de irmã Margarida Maria Rossi, que deu grande impulso a este processo, cuja abertura oficial, se deu no dia 04 de dezembro de 1991, no Seminário de Viseu – Portugal. No dia 20 de dezembro de 2003, Madre Rita foi proclamada Venerável, pelo Papa João Paulo II e, no dia 20 de dezembro de 2004, o Papa João Paulo II, emanou através da Sagrada congregação para a Causa dos Santos o Decreto de reconhecimento das virtudes e do Milagre atribuído à intercessão de Madre Rita declarando-a “ Beata”.
    Sua Beatificação, se realizou oficialmente, no dia 28 de maio de 2006, no Pontificado do Papa Bento XVI, na cidade de Viseu - Portugal.


IRMÃ MARGARIDA LOPES DE ALMEIDA


Superiora Geral Interina
Naturalidade – Ribafeita, Viseu
Filiação: Pai- Manuel Lopes 
 Mãe – Josefa de Jesus de Almeida

    Irmã Margarida Lopes de Almeida, era irmã de nossa Fundadora, Madre Rita Lopes de Almeida.
    Foi uma grande colaboradora nos trabalhos de consolidação da fundação da Congregação.
 

    Após a morte de Madre Rita Amada de Jesus, assumiu como Superiora Geral, interina, conforme o Direito Particular e Canônico, os destinos da Congregação, até à eleição da Superiora Geral, Madre Ana de São José Mattos Martins.
    Em todo o tempo de sua vida religiosa, exerceu as tarefas comunitárias e do Governo da Congregação, como Conselheira Geral. Deu exemplo de raras virtudes; grande caridade e zelo pelos bens da Congregação. Possuía em grau elevado o espírito de pobreza religiosa, incutindo nas Irmãs mais jovens, esse espírito. Deixou-nos o exemplo do ardor das virtudes na perfeita observância das Regras, na sua inteira submissão às Superioras, unida a uma grande e profunda humildade. Amou a vida oculta, a ponto de passar entre as Irmãs, como se não exercesse o serviço da autoridade no Instituto, e também por ser irmã da nossa querida Fundadora.
    Seu trato com as Irmãs e com as pessoas de fora, foi de muita edificação, atraindo a todos. 
    Na sua última enfermidade, deu grande exemplo de conformidade e união com Deus.
    Faleceu docemente no Senhor, a 01 de Agosto de 1940 e está sepultada no cemitério da cidade de Franca – SP, no túmulo das irmãs. (Testemunho das irmãs- Patrimônio Espiritual )


IRMÃ ANA DE SÃO JOSÉ MATOS MARTINS


Terceira Superiora Geral do Instituto Jesus Maria José
GOVERNOU O INSTITUTO DE 26.07.1914 A 20.07.1947
Nasceu em 19.03.1874
Naturalidade: Lagiosa-Lordosa – Viseu
Filiação: Pai: João de Martins
Mãe: Leonor de Jesus de Matos.

    Irmã Ana de São José, nasceu numa família profundamente cristã. Foi batizada e formada na iniciação cristã, desde criança.


VIDA RELIGIOSA
    Entrou para a Congregação, no dia 13 de abril de 1888, com 14 anos de idade.
    Emitiu  os primeiros votos a 24 de setembro de 1893.
    Emitiu os Votos perpétuos em 24 de setembro de 1903.
    Irmã Ana de São José, no Brasil:
    Veio de Portugal para o Brasil, no terceiro grupo de Irmãs.
    A 26 de julho de 1914, reuniram-se as superioras das comunidades existentes no Brasil, na cidade de Sapucaí, hoje denominada Patrocínio Paulista, Estado de são Paulo, para procederem a leitura do Rescrito de sua Excelência Reverendíssima, o senhor Dom Manuel Vieira de Matos, então Bispo da Diocese da Guarda – Portugal. Neste Documento escrito com seu próprio punho e por ele enviado, em virtude dos poderes especiais que a Santa Sé lhe outorgara, em vista dos sufrágios que as Irmãs lhe haviam mandado do Brasil, indicando a escolha da Irmã que teria o perfil para Superiora Geral. A escolha incidiu sobre a IRMÃ ANA DE SÃO JOSÉ MATOS MARTINS. Confirmada Superiora Geral, a Madre Ana de São José Matos Martins, através deste documento lido na presença das Irmãs que constituíam a Assembléia Capitular. 
    Procederam também a eleição das Conselheiras  Gerais, ficando assim constituído o governo:
    Madre Margarida Lopes de Almeida
    Madre Carlota da conceição Teixeira
    Madre da Anunciação Costa.
    Por ocasião da eleição, já contávamos no Brasil, 28 Irmãs. Após estes, vieram outros grupos e assim o número de Irmãs foi crescendo, com novas vocações  se expandindo neste imenso Brasil. Começava uma nova fase de consolidação do Instituto de 1914 a 1947.
    Fundação do Noviciado no Brasil
    O Noviciado foi fundado na cidade de Franca, com a aprovação Canônica do Bispo da Diocese de Ribeirão Preto, Dom Alberto José Gonçalves.
    Às noviças, era ministrada formação para a Vida Religiosa,  teológica. 

 

Formação:
    Tinha muita preocupação com a formação permanente e  continua das Irmãs para que respondessem melhor às exigências da Missão.
    Fundações e Trabalhos:
    Prosseguiram a fundações e trabalhos apostólicos em outras cidades do Estado de São Paulo e outros Estados, conforme lhes era solicitado e o número de irmãs disponíveis, dando assim resposta à expansão do Carisma e Missão do Instituto Jesus Maria José.
    Em 1934, um grupo de Irmãs voltou a Portugal e fizeram ressurgir a Congregação na Pátria que lhe foi o berço. Iniciaram com as fundações nas Dioceses da Guarda, Visei e Porto.
    As irmãs mantiveram sempre o espírito da fundação, sem nada alterar: Pobreza, humildade, simplicidade, alegria, silêncio, trabalho, confiança e abandono nas mãos de Deus, tal como a Sagrada Família de Nazaré, Jesus Maria José, nossos Patronos. Herdamos  a cultura, o trabalho e a tenacidade destas incansáveis obreiras na Messe do Senhor. Sob a orientação dessa grande mulher, o Instituto foi consolidado em todas as dimensões: Espiritual, Vocacional, Formação, Estruturas Civis e Canônicas.
    Madre Ana de São José Matos Martins, era de uma personalidade marcante: inteligência rara, religiosa de comprovadas virtudes. Governou o Instituto durante 33 anos. Autêntica continuadora da Obra de Madre Rita  Amada de Jesus , faleceu aos 91 anos de idade no dia 19 de fevereiro de 1966.
    Está sepultada no cemitério de Santo Amaro, São Paulo, no  túmulo das Irmãs.


IRMÃ AMÉLIA ( SAGRADO CORAÇÃO) BORTOLETTO
 

Irmã Amélia do Sagrado Coração Bortletto, foi a Primeira Superiora Geral Brasileira e quarta Superiora Geral do Instituto Jesus Maria José
Nascimento: 22.05.1904
Naturalidade: Igarapava – SP
Pai: Ramiro Bortoletto _ Nacionalidade  Italiana
Mãe: Domingas Baron


    Foi uma das primeiras alunas do Colégio da Imaculada Conceição, em Igarapava SP. Em contato com as primeiras Irmãs que vieram de Portugal, despertou, ainda muito jovem, nela a vocação religiosas.
 

Vida no Instituto
Entrou para o Postulantado em 03.06.1921.
Ingressou no Noviciado em 03.06.1922.
Emitiu os primeiros votos em 27.06.1924.
Emitiu os votos perpétuos em 10.01.1932.

 

Formação Acadêmica
    Fez o Curso Superiora de Ciências Religiosas e Filosofia no Instituto Sedes Sapienciae, em São Paulo. Exercitou seus dons musicais na Liturgia e na Formação Musical, ministrando aulas aos alunos dos colégios, por onde passou. 
    Em todo o percurso de sua vida de Consagrada no Instituto Jesus Maria José, evangelizou, através dos seus trabalhos e testemunho de vida.

 

Atividades nas Comunidades
    Exerceu  as funções de Superiora de Comunidade, Professora, Diretora e de Mestra das Junioras. Era sensível, principalmente  às necessidades dos mais carentes, amava os pobres e sempre dava um jeitinho para os ajudar, sem olhar a quem. Chegou a fazer no Colégio Jesus Maria José de Santo Amaro, São Paulo, um Centro Social, para atender os pobres, ensinando e confeccionando ela mesma enxovais para bebês. Ensinava os empregados analfabetos a ler e escrever, bem como o catecismo. Foi uma Religiosa que cultivou uma vida de oração intensa, de grande amor  a Eucaristia. Observou com rigor os Votos de Pobreza, Castidade e Obediência. 
    Tinha muito amor ao Instituto, preocupando-se com os aspectos da Promoção Vocacional, a formação a todos os níveis: humana, espiritual e acadêmica. Incentivava as Irmãs que entravam para o Instituto, que não tinham estudos, a estudar, nos diversos cursos, conforme as necessidades do Instituto e a capacidade de cada Irmã. 


    No dia 20 de fevereiro de 1947, em Capítulo Geral, foi eleita  Superiora Geral, Madre Amélia do Sagrado Coração Bortoletto, tendo como Conselheiras:
    Irmã Ana de São José Matos Martins
    Irmã Rosalina da Silva,
    Irmã Laurentina dos Santos
    Irmã Tereza Verônica Madeira.

 

Características:
    Era bastante enérgica e ao mesmo tempo, muito caridosa. Durante os 18 anos que governou o Instituto, com muita habilidade e prudência, realizou numerosas e importantes obras, entre as quais se destacam  as  fundações:   Colégio de São José, em  São Miguel do Oeste – SC;  Colégio Pio X – Palmeira das Missões – RS; Lar da Sagrada Família – Batatais  - SP; Pensionato Jesus Maria José, para jovens universitárias e para as religiosas que pudessem fazer cursos superiores, na cidade de  Campinas – SP; Colégio Jesus Maria José, o novo prédio, em Franca – SP; Reforma e ampliação da casa do Noviciado, em Franca – SP; Colégio em Rodeio Bonito – RS; durante o seu governo, assumiu a direção do Hospital de Rondinha – RS.
    Em Portugal, fundou o Lar Jesus Maria José para universitárias, na cidade de Coimbra.
    Na época de fundação de uma nova  casa, era ela a encarregada de preparar manualmente as alfaias da capela, com muito carinho, capricho, cuidado e paciência. Também ela se encarregava de elaborar o histórico da fundação da nova casa. 
    Como Superiora Geral, zelava pelas casas de pastoral, providenciando o necessário: moradia e alimentos para a subsistência  das irmãs.
    Com sabedoria e entendimento  acompanhou, na medida do possível,  reformas e construção das casas do Instituto, em sua gestão.
    Vale ressaltar que Madre Amélia sempre se preocupou em atender as exigências das autoridades: Municipal, Estadual e Federal, indo muitas vezes ela mesma aos órgãos competentes para solucionar  assuntos relacionados a cada departamento.
    Em 1947, visitou as comunidades de Portugal. Em 1950, encontrando-se outra vez em Portugal, empreendeu uma peregrinação a Roma, por ocasião da proclamação do Dogma da Assunção de Maria.  Em  agosto de 1958, realizou a visita generalícia às comunidades de Portugal. 
    Irmã Amélia, deixou para o arquivo do Instituto vários escritos, relatórios de fatos históricos importantes, tanto  das irmãs como das comunidades e muito colaborou para o bom andamento do Processo de Canonização de Madre Rita Amada de Jesus, com  os seus escritos deixados de nossa Fundadora.
    Também elencou grande quantidade de fotos históricas que se encontram no arquivo histórico do Colégio Jesus Maria José, de São Paulo.
    Faleceu em Batatais – SP e está sepultada no túmulo das irmãs.


IRMÃ JULIETA (CLARA) MENDES


Governou o Instituto de 31.07.1965 a 09.07.1983 – 18 anos.
Quinta Superiora Geral do Instituto Jesus Maria José

Data de Nascimento: 16.07.1910
Naturalidade: Batatais/SP
Pai: José Julio Mendes
Mãe: Adélia da Silva Mendes
Batismo: 06.08.1910 . Cresceu no seio de uma família cristã.
Vida no Instituto

Entrou para o Postulantado em 13.06.1931
Ingressou no  Noviciado em 24.12.1931
Emitiu os primeiros votos em 25.12.1933
Emitiu os votos perpétuos em 25.12.1939
Formação Acadêmica e Religiosa
Cursou Ciências Religiosas e Pedagogia.

Funções no Instituto
    Exerceu as atividades no Instituto, em espírito de serviço e dedicação, principalmente nos Colégios de Poços de Caldas – MG e Colégio Jesus Maria José, de Santo  Amaro – São Paulo. Exerceu também as funções de secretária, professora e diretora, com amor, responsabilidade e serenidade.
    Irmã Julieta Clara Mendes – Superiora  Geral
    Irmã Julieta assumiu o Governo Geral do Instituto no ano de 1965; foi reeleita em 1971 até 1983, manteve-se no cargo por 18 anos. 
    Teve como Conselheiras Gerais:

1º Mandato as Irmãs:
    Irmã Amélia  do Sagrado Coração Bortoletto Vigária Geral
    Irmã Benedita da Purificação
    Irmã Madalena Haydée

2º Mandato:
    Irmã Amélia  do Sagrado Coração BortolettoVigária Geral
    Irmã Floriana Laís Filgueira
    Irmã  Maria Amabile Del Bel

3º Mandato
    Irmã Amélia do Sagrado Coração BortolettoVigária Geral
    Irmã Rita Clarindo dos Santos
    Irmã Ortília Passini

 

Características:
    Irmã Julieta era uma Irmã respeitosa, austera, prudente, de pouco falar e agir muito. Dotada de inteligência lúcida e marcante personalidade. 
    Promoveu em seu governo várias realizações: Reforma e ampliação do  Colégio Pio , da Palmeira das Missões – RS; Colégio São José, de São Miguel do Oeste – SC; Colégio Jesus Maria José, de Poços de Caldas – MG; Colégio Jesus Maria José, de Santo Amaro – São Paulo; Nova capela e novo pavilhão do Lar da  Sagrada Família de Batatais SP; o Centro Educacional Jesus Maria José,  de Taguatinga – DF; Residência das irmãs em São Miguel do Oeste SC e Palmeira das Missões RS. 
    Visitou as comunidades de Portugal e da Missão de Angola. 
    Organizou e presidiu o Primeiro Capítulo Provincial da Província Portuguesa..
    No Brasil e em Portugal, deu andamento a novas fundações. Autorizou a inserção das Comunidades de Pastoral, nas Paróquias sem padre. 
    Em 1980, presidiu as celebrações jubilares do Primeiro centenário do Instituto e o Jubileu de Ouro, dos Colégios de Santo Amaro, São Paulo e de Poços de Caldas – MG.
    Enfrentou a crise Pós Concílio. Sofreu afrontas, desprezo,  presenciou  rebeldias de irmãs descontentes, mas permaneceu firme em sua função e decisões. Tempo de mudança, de renovação, marcando momentos de escuridão e incertezas, mexendo com as estruturas e com a Vida Religiosa. Ao ver um grupo de  Irmãs saírem do Instituto, Madre Clara resistiu com fortaleza de alma, permaneceu firme e fiel no serviço que Deus lhe confiara.
    Na comunidade que residia, respeitava e não interferia nas decisões da casa, a não ser em casos urgentes e necessários.
    Em suas viagens de visitas pelas comunidades, de modo especial ao exterior, Madre Clara recebia presentes e levava para a comunidade onde residia. Aproveitava a reunião das irmãs e fazia sorteio entre as Irmãs com o que ela reunia, de modo que todas recebiam uma prenda.
    Por ser bastante recatada e séria, algumas vezes fazia as irmãs rirem com seus gracejos, mas em uma coisa ela era firme e categórica: não admitia que chamasse as irmãs por apelido.
    Quando já adoentada, no limiar de sua trajetória, reviveu intensamente os momentos que passou com “ as irmãs resistentes.”
    Madre Julieta ( Clara ) Mendes faleceu em Batatais - SP e está sepultada no túmulo das irmãs.


IRMÃ MARGARIDA ROSSI    

Sexta Superiora Geral do Instituto Jesus Maria José
Nome Civil: Argila Lourdes Rossi
Nasceu: 11/02/1937
Naturalidade: Bento Gonçalves/RS
Pai: Saul Vicenzo Rossi
Mãe: Angelina  Domênica Cronst Rossi

Vida no Instituto
Postulantado: 06/06/1956
Noviciado: 06/01/1957
Primeiros Votos: 06/01/1959
Votos Perpétuos: 06/01/1965

Formação Acadêmica e Religiosa: Curso Superior de Ciências Religiosas – São Paulo (Mater Criste); Teologia – São Paulo;  Complementação Filosófica – Mogi das Cruzes

Tarefas realizadas: Professora, mestra de aspirantes, Catequista, Formadora – Mestra de Noviças, Superiora de comunidades, etc...

SUPERIORA GERAL IRMÃ MARGARIDA MARIA ROSSI

Governou o Instituto de 09.07.1983ª 12.07.1995 – 12 anos
 VIII Capitulo Geral, 1ª  Eleição da  Superiora Geral – Irmã Margarida Rossi    

1983 a 1989 - Conselheiras : Irmã Inês Pontes Câmara
    Irmã Aracy Cabral
    Irmã Alda Cristina Michielin
    Irmã Julieta Clara Mendes    

1989 a 1995 reeleita,  Superiora Geral – Irmã Margarida Rossi 
    Conselheiras: Irmã Alda Cristina Michielin
    Irmã Maria da Conceição Frade da Costa
    Irmã Maria  Antônia Isaias
    Irmã Floriana Laís Filgueira

    Após a celebração do Capítulo Geral de 1983, a eleita Superiora Geral Irmã Margarida Maria Rossi,  deu início,  através do Documento Capitular, ao aprofundamento da nossa Espiritualidade, Carisma e Missão, para todo o Instituto. 
    Estimulava as Irmãs a prosseguirem nesta caminhada,  através do  estudo e da vivência, do compromisso  com a Consagração Religiosa  e Missão. Com este esforço de aprofundamento, sentiu-se mais vigor e compromisso de maneira que o nosso testemunho se propagava o Instituto era conhecido muitos participavam da nossa riqueza, conhecendo e comungando conosco a Espiritualidade, o Carisma e a Missão.

O QUE DESENVOLVEU COM  SEU GOVERNO:
    • Estudo e divulgação da Vida e Obra de Madre Rita Amada de Jesus, com as Irmãs e os nossos destinatários. A resposta foi admirável em todos os sentidos.
    • Renovação das Constituições Canonicamente, à luz do nosso Patrimônio Espiritual e da Tradição do Instituto.
    • Foram revistas as obras existentes: hospitais, asilos, colégios, etc. Algumas permaneceram outras, não. As obras que continuaram foram atualizadas, e assim foi surgindo,  gradativamente  nas obras,  o rosto do nosso Carisma e Missão.
    • Neste processo de renovação, reconhecido pela Igreja, foram solicitadas a abertura de novas frentes de evangelização e de promoção humana em Dioceses e Paróquias. 
    • Com este dinamismo, os frutos não tardaram a aparecer: surgiram vocações, grupos da Família Jesus Maria José, Capelinhas (devoção à Sagrada Família)... frutos colhidos por uma vivência religiosa fecunda de oração, de fraternidade, zelo apostólico e pobreza evangélica.
    • A Pastoral Vocacional e a Formação inicial, tornaram-se mais dinâmicas, participativas pelos membros do Instituto. Abriu-se a Casa de Formação de Luanda – Angola, no Continente Africano.
    • Realizou-se a abertura do Processo de Canonização de Madre Rita, nomeando o Postulador da Causa e a constituição do tribunal para recolher e avaliar os Documentos e testemunhos das Irmãs do Instituto e das pessoas que, direta ou indiretamente conheceram Madre Rita. Foi um  sopro novo do Espírito para todo o Instituto, para os nossos destinatários e para o povo de Deus, através da divulgação da Vida e Santidade de nossa querida Fundadora. 
    • Intensificou o estudo das Constituições do Diretório, contribuindo imensamente para termos orientações seguras na caminhada do Instituto, tendo sido submetidas à aprovação da Santa Sé, a 10 de maio de 1992.
    • Neste processo de volta às raízes do Instituto, da Vida e Obra de Madre Rita, da redação das novas Constituições, teve a sábia e competente colaboração do Padre  Florentino Mendes Pereira, Claretiano, que  orientou a descoberta e o aprofundamento dos grandes tesouros existentes em nosso Instituto.
    Foram realizados vários cursos, retiros, estudos e aumentou o número de escritos sobre o nosso Patrimônio Espiritual.

COMUNIDADES E FRENTES MISSIONÁRIAS

    A missão Ad Gentes, foi reforçada, enviadas mais Irmãs para a missão de Angola, iniciou-se a formação das candidatas à Vida religiosa em Luanda, no Bairro Prenda. Angola, estava em guerra, o povo pobre recorria à Igreja, pedindo ajuda, de modo especial de medicamentos, roupas e comida. O Instituto procurou dar o apoio necessário para  que as comunidades permanecessem junto do povo, partilhando do pouco que tinham e continuando o processo de evangelização.
    Neste processo de renovação espiritual todo o Instituto esteve envolvido. As Irmãs portuguesas nesta época tiveram a oportunidade de rever o funcionamento das Obras existentes em Portugal. Foram fortalecidas e consolidadas, através de novos projetos; elaboração dos Estatutos de “ Centros Particulares de Solidariedade Social”,  que reconhecidos,  possibilitaram fazer contratos de com participação com o Governo, obtendo ajuda econômica para o desenvolvimento da nossa Missão de Educadoras e acompanhamento às famílias.
    A Irmã Margarida é  uma pessoa orante, caridosa, prestativa. Deu grande impulso a novas fundações no  Brasil e no exterior. Preocupou-se com a vida espiritual das Irmãs e em suas visitas às comunidades, sempre levava livros para a leitura espiritual e para os estudos em comunidade. É uma irmã muito social, sempre manteve contatos com as autoridades civis e religiosas.
    Nas fundações de novas comunidades, Irmã Margarida elaborava uma lista de materiais  e objetos necessários para a nova casa, pedindo o contributo das comunidades de modo que não ficava oneroso para ninguém.
    Em suas viagens para o exterior e às casas de Pastoral, sempre se preocupou com  vestuários, calçados e alimentos para a subsistência das Irmãs, de modo especial, a Angola, que passou por um período difícil de guerrilhas e a fome e outras necessidades que assolavam o País.
    Foi a Irmã Margarida que deu o primeiro impulso ao processo de Canonização de Madre Rita, procurando e descobrindo documentos e dados, sobre nossa querida Fundadora, bem como, investigando sobre os sacerdotes, parentes e pessoas que conviveram com Madre Rita. Incentivou e apoiou os escritos sobre a Vida e Obra de Madre Rita, contando de modo especial, com o Padre Florentino Mendes Pereira, como já foi mencionado. A Autobiografia de Madre Rita, passou a ser, como que uma cartilha para as Irmãs. Também foi ao Pe. Florentino que foi confiada a elaboração das novas Constituições, submetidas e aprovadas em Capítulo Geral. Neste trabalho foi grande colaboradora a Secretária Geral, Irmã Kimiko Imada. O novo texto das Constituições, aprovado no Capitulo,  foi levado ao  Vaticano, para ser submetida   à aprovação final, o que aconteceu a 10 de maio de 1992, pelo Papa  João Paulo II.
    Foi uma Superiora Geral, capacitada e competente, preocupava-se com as irmãs, incentivando-as a fazerem cursos de reciclagem a vários níveis e promoveu encontros a nível de Instituto; de Diretoras, de Professoras de Ensino Religioso e outros.
    Teve o privilégio de participar da abertura oficial do  Processo de Canonização em Viseu – Portugal.
    Haveria muito a dizer, as palavras limitam o grande acontecer de Deus no Instituto através dos seus servos.
    “ SE PRECISO FOSSE PERCORRERIA O MUNDO INTEIRO PARA SALVAR UMA SÓ ALMA”  Ela continua como Missionária, a realizar a Missão no Peru, testemunhando com   grande ardor e amor ao Instituto, e à Igreja, sua Consagração ao Senhor. “Anunciando o Evangelho da Conversão”.


IRMÃ MARIA ANGELA GUILARDI


Sétima Superiora Geral do Instituto Jesus Maria José

NOME CIVIL: CLEMENTINA GUILARDI
Natural – Rondinha/RS
Nascimento 25/12/1940
Filiação: Mário Guilardi e Maria Zatti Guilardi,

VIDA NO INSTITUTO
Postulantado - Colégio JMJ –Santo Amaro  - São Paulo
 Noviciado: 1959 a 1961
 Primeiros Votos: 1961 – Franca SP
 Votos perpétuos: 1966  - Franca SP
Celebrou 50 anos de Vida Consagrada, no ano de 2011-10-14

 

SUA  HISTÓRIA

    “ As primeiras irmãs, foram para mim, grande exemplo e testemunho de oração, humildade, simplicidade e de trabalho. 
    Cursei apenas o ensino Médio e fiz cursos de especialização para o ensino Pré Escolar e alfabetização. Atuei em vários colégios como alfabetizadora, ministrei aulas de Ensino Religioso, Educação Moral e Cívica, Ciências da Natureza. Exerci o serviço da autoridade no Instituto como Superiora de comunidade, Superiora Provincial e Delegada  Regional. Trabalhei em Creches, Orfanatos, Obras Sociais, na Pastoral Paroquial e como Mestra de aspirantes.
    A minha grande preocupação até hoje, é com as crianças e as famílias menos favorecidas. Após conhecer Madre Rita sua Obra e Missão, tento praticar e vivenciar algumas facetas de sua vida”. ( Ir. Ângela)

IRMÃ ANGELA GUILARDI – SUPERIORA GERAL

    Irmã Maria Angela  Guilardi, foi eleita Superiora Geral no X I Capítulo Geral, no dia 17.07.1995 até 13.07.2001, governou o Instituto por 06 anos.
    As Conselheiras Gerais desse sexênio:
    Irmã Maria da Conceição Frade da Costa – Vigária Geral
    Irmã Alda Christina Michielin
    Irmã Maria Angélica Gomes da Silva
    Irmã Delinda Cavalli
    Após o encerramento do XI Capitulo Geral,  as recém eleitas imbuídas   da Missão  colocam  nas mãos das Irmãs de todo o Instituto o Plano Global de Ações, aprovado no mesmo.
    Objectivo: “ Identidade do Instituto Jesus Maria José. - Viver identificada com a generosidade e audácia de Madre Rita Amada de Jesus, no Espírito, Carisma e Missão e responder, como discípulas da  Escola de Nazaré, aos prementes desafios da Família, das crianças e dos jovens desprotegidos do mundo de hoje”.
    Com o ardor Missionário, vislumbrando novos horizontes, Irmã Maria Angela Guilardi e seu Conselho, prosseguiram com serviço de animação de todo o Instituto, fazendo-se assessorar por pessoas sábias (Sacerdotes e Leigos), com doutrina certa e segura, procurando uma formação sólida para as Irmãs, a fim de enfrentarem com audácia os desafios que em cada tempo, nos pedem respostas.
    Procuraram dar um suporte à consolidação da Vida Fraterna, acompanhando as comunidades, a fim de avivar e fortalecer a vida espiritual  em vista da missão.
    Cuidaram da Formação inicial e Permanente
    Foi dado grande impulso à Família Jesus Maria José, tendo - se realizado o primeiro congresso da Família Jesus Maria José, foi elaboradas a titulo experimental algumas orientações para os grupos da Família em fase de  consolidação, principalmente em Angola.
    Em sua gestão, deu-se a continuidade ao processo de Beatificação de Madre Rita.
    Foram visitadas por si ou por suas Conselheiras as Comunidades:
    No Brasil, Portugal, participando dos Capítulos Provinciais e em outras ocasiões; 
    Roma, Processo de Canonização de Madre Rita;
    Angola; Bolívia; Paraguai, conhecendo e sentindo a realidade daquele povo e da  necessidade da permanência das irmãs junto deles. Com a visita das Conselheiras foi dada a oportunidade de estas permanecerem mais tempo nas comunidades de Luanda-Angola.
    Estados Unidos, a presença das conselheiras teve como finalidade: evangelizar e estar com a comunidade cristã “ portuguesa e ” brasileira”, visitando igrejas, famílias e paróquias a fim de divulgar a vida e obra de Nossa Fundadora, bem como, angariar fundos para a construção da Igreja Madre Rita em Portugal.
    Deslocaram-se a Lima, Peru, conhecer o lugar e a possibilidade de uma futura fundação.
    Na sua gestão, prosseguiram com grande zelo na manutenção do Patrimônio, fazendo algumas aquisições, reformas e construções. Procuraram viver em espírito de Pobreza, na fidelidade ao Espírito fundacional.
    Irmã Maria Angela Guilardi, é uma Irmã alegre, simples, dinâmica, comunicativa,  amiga de todas as Irmãs. Tem grande zelo pelos pobres e necessitados.
    Foi e é uma excelente e capacitada educadora, com os destinatários de sua Missão.  È dedicada  e prestativa em suas ações.
    Mulher de oração,  de trabalho e muito sensível. “Sofre com os que sofrem e se alegra com os que se alegram”. 


IRMÃ ALDA CHRISTINA MICHIELIN
 

Oitava Superiora Geral do Instituto Jesus Maria José
Data de nascimento: 14.05.1936
Naturalidade: Ibirubá RS
Pai: Eugênio Michielin
Mãe: Antonia Pasquetti
VIDA NO INSTITUTO
Postulantado: 03.03.1958
Ingressou no Noviciado: 09.01.1959
Emitiu os Primeiros Votos: 02.02.1961
Emitiu os Votos perpétuos: 02.02.1967

FORMAÇÃO ACADÊMICA
    Formou-se na área da Educação – Ciências e Pedagogia.
MISSÃO NO INSTITUTO
    Exerceu atividades nos Colégios do Instituto, como Professora e Diretora.
    Nas comunidades por onde passou, fez todos os trabalhos com edificante zelo e foi nomeada Superiora em algumas delas.
    Foi eleita Conselheira Gera de 1983 a 2001.
IRMÃ ALDA CHRISTINA MICHIELIN – SUPERIORA GERAL
    Governou o Instituto de 13.07.2001 a 13.07.2007 
    As Conselheiras eleitas para o seu Governo Geral, nesse sexênio, foram:
    Irmã Floriana Lais Filgueiras
    Irmã Margarida Maria Rossi
    Irmã  Maria Fátima Tomazi
    Irmã Kimiko Imada
    O XII Capítulo Geral, realizado em julho de 2001, refletiu o Tema: “ Instituto Jesus Maria José, em busca de uma formação qualificada para melhor vivência de seu  Carisma e Identidade, face aos desafios do terceiro milênio”. 
    Foi colocado nas mãos de Irmã Alda e seu Conselho, o Documento Capitular com o Plano Global de Ações, a dinamizar durante o seu governo.
    Formação de  uma equipe para colaborar na dinamização da Vida Espiritual e  Vida Fraterna no Instituto.
    Estruturar a Equipe de Formação e por em prática o Plano Geral de Formação, adaptando-o à realidade de cada Província e Delegação.
    Evangelizar a família, dando ênfase à formação da criança e do jovem, preservando-os da  desestruturação familiar.

    Dar continuidade aos empreendimentos do Instituto, mantendo e valorizando o seu Patrimônio, testemunhando a Pobreza Evangélica.
    Diante das decisões tomadas em Capítulo, traçados os objetivos, as metas a atingir, mediante as ações a realizar, progressivamente, iniciaram o Serviço de animação e consolidação dos projetos. 
    Tomando como base a Escola de Nazaré e os ideais de Madre Rita, buscando fundamentar a nossa Identidade, numa força sólida, integrada e dinâmica.
    Para além da formação Espiritual e cultural das Irmãs, procurou, juntamente com os Governos Provinciais e Delegações, dar atendimento à manutenção e expansão dos imóveis, para atender as necessidades dos trabalhos das Irmãs e colaboradores, para que pudessem exercer bem o seu ministério junto ao povo de Deus.

ALGUMAS REALIZAÇÕES
    Fundação da Faculdade JMJ em Taguatinga – DF – FAJESU
    O Governo da Província Portuguesa juntamente com a Delegação de Angola, realizaram o sonho de construir a Escola Madre Rita, no Morro Bento, Luanda- Angola.
    A Delegação de Bolívia, também se expandiu: o “ Pré Escola”, foi construído e abriu-se a Escola Madre Rita, na Cidade de  Deus, em Santa Cruz de La Sierra.
    O Noviciado, no Brasil, foi transferido para Aparecida SP, em sua gestão.
BEATIFICAÇÃO DE MADRE RITA
    Irmã Alda, teve o privilégio de estar à frente da celebração da Beatificação de Madre Rita e, com muita emoção, conduziu a Primeira Relíquia de Madre Rita em procissão, entre o povo, na Catedral de Viseu, Portugal.
    Segundo o testemunho de Irmã Alda, foi dada atenção especial às Obras Sociais e às Escolas, seguindo os passos de Madre Rita. Tudo foi possível, graças à dedicação das Irmãs, dos trabalhadores, colaboradores e benfeitores.
    Irmã Alda encontrou dificuldades inerentes ao exercício da autoridade, neste mundo globalizante e em constante mutação.
    É uma irmã dedicada e caridosa, não media esforços, quando queria abrir uma casa, providenciando o necessário para o funcionamento da mesma.
    Uma Irmã amante da natureza fica realizada em plantar arvores frutíferas, bem como de flores e é conhecedora da variedade de espécies de plantas. E a favor da Ecologia.
    Ao adquirir uma propriedade, uma chácara, por exemplo, se preocupava muito se havia nascente de água no local.
Governou o Instituto por 06 anos


MADRE GERAL LEONIR TOMAZI

Nona Superiora Geral do Instituto Jesus Maria José
Nasceu: 23/08/1967 - Cidade: Rodeio Bonito
Pai: Affonso Tomazi - Mãe: Leonilda da Silva Tomazi

Vida no Instituto
Postulantado - 02/02/1986 -  Ingressou no Noviciado: 02/02/1987 - Emitiu os primeiros Votos: 02/02/1989 - Franca SP -  Emitiu os votos perpétuos: 1995 – Goiânia –GO

Formação Acadêmica e Religiosa – Magistério - Curso Superior de Filosofia – PUC de Goiânia - Pós Graduação na área de Psico-Pedagogia – Escola de Formadores – SP. Fez o Curso de atualização Teológica – Colégio Pio XI – SP; Curso de  Formação de Agentes Vocacionais/RS.

Atividades desenvolvidas no Instituto: Educadora – Trabalho pastoral: Catequese. Liturgia e formação de lideranças -  Diretora  da Creche em Goiânia – Coordenadora do Ensino Religiosos nos Colégios de Brasília e Palmeira das Missões, coordenadora de comunidade. Foi  Animadora Vocacional Liberada 05 anos - Rio Grande do Sul e Santa Catarina , Formadora das Etapa do aspirantado e juniorato  e Mestra de noviças. 

    “Trago como inspiração a frase iluminadora do Capítulo: “Desamarre as sandálias porque o chão que pisas é terra santa”. Conhecer e acompanhar a missão do Instituto em cada país com suas riquezas e desafios tem sido para mim um “descalçar-se”constante a fim de pisar  neste “Chão Sagrado”que é o Instituto  e perceber a ação de Deus em cada Irmã, Educador, jovem, membro da família JMJ, destinatários e colaboradores que vem mantendo vivos a força e o vigor do carisma.”Ir. Leonir

IR. LEONIR TOMAZI  - SUPERIORA GERAL é a atual superiora geral. Foi eleita no XIII capítulo Geral no dia 13 de julho de 2007 para o mandato 2007- 2013.
Conselheiras Gerais deste sexênio:
    Irmã Maria de Lurdes Lopes Filipe- Vigária Geral
    Irmã Nilva Barros da Costa - Evangelização
    Irmã Delinda Cavalli - Economia
    Irmã Maria Julieta Anacleto Lopes –Conselheirada Formação e Secretária
    Irmã Izabel Benedetti – Ecônoma Geral

ASPECTOS RELEVANTES DESTE GOVERNO:
    O XIII Capítulo convidou a “Viver um Novo Pentecostes animadas(os) e guiados(as) pelo Espírito santo...e  a viver este momento novo com audácia – comunhão e esperança.”
    Com esse intuito a  Superiora Geral e seu conselho assumem o governo, agora com a fundadora Beatificada,  buscando intensificar o revigoramento do carisma e da espiritualidade. Vemos isso: -  pelo dinamismo com que cada irmã vem assumindo  e  mantendo vivo o projeto de Rita Amada de Jesus; - no  impulso e expansão do carisma do Instituto entre os leigos, jovens, educadores e aqui ressaltamos o fortalecimento e consolidação  da Família JMJ, leigos que mais e mais comungam do carisma e espírito deixado por Rita Amada de Jesus.
    Este tempo está sendo marcado também por um  despertar missionário. O Instituto nasceu sob o impulso missionário “se preciso fosse percorreria o mundo para salvar uma só alma”.  A exemplo de nossas primeiras irmãs sente-se crescer o ardor missionário desde  nossas  Irmãs mais velhas até a juventude que deixam seu país e se colocam a serviço da missão.
Este governo tem incentivado e proporcionado  Experiências missionárias desde a formação inicial. Surgem novas iniciativas missionárias em diferentes realidades com envolvimentos de jovens e leigos nossos colaboradores. 
    Temos experimentado forte a Vivência da comunhão  e da unidade no Instituto pelo  diálogo e  sintonia  entre o governo geral , os governos Provinciais e  as delegações do Instituto promovendo encontros periódicos de formação. planejamento e avaliação. Destacamos fruto deste espírito de unidade a Rede de Educação JMJ no Brasil e os trabalhos conjuntos realizado nos outros países;
    A preparação e Celebração Jubilar dos  100 anos de presença do Instituto no Brasil tem sido um tempo forte.  Durante este período foi realizado o envio das Imagens e Relíquias da fundadora a todas as comunidades. Estão sendo celebrados festas jubilares de Vida Religiosas das irmãs, jubileus de fundação das comunidades . onde todos são convocados a participar  das atividades e celebrações envolvendo Irmãs, destinatários, familiares, amigos e colaboradores num grande hino de ação de graças. 
    O Governo geral em conjunto com os governos provinciais e delegações procuram zelar pelo patrimônio do Instituto e promover novas aberturas e realizações: 
    - Construção da residência das Irmãs em Naranjito – Parguay / 2008 e a abertura de  uma nova comunidade – Fran /2009
    - Abertura  de uma nova comunidade em Azângaro – Peru  e  aquisição do terreno e construção da residência das Irmãs em Arequipa  - Peru/2010
    - Abertura da creche de Franca – S/P  - 2010
    - Abertura de um novo projeto Social “Escola Amada” – Igarapava – SP/ 2008.
    - Abertura da comunidade de Formação em preparação ao votos perpétuos – Portugal  - Fátima.
    - Abertura de uma missão em um Novo Pais – México – 19/03/11
    - Transferência das Casa das Irmãs idosas de Batatais para Franca – SP/2009
    - Construção do CERAJ – Centro de Espiritualidade Rita Amada de Jesus – São Paulo –SP – Inaugurado 05/03/11
    - Formação e consolidação da Rede de Educação JMJ  no Brasil e adesão a RCE – Rede Católica de Educação a partir de 2008;
    - Aquisição do terreno que pertenceu a família de Madre Rita – Casalmendinho – Ribafeita- projeto da construção do memorial do Instituto . Ribafeita - Portugal.
    - Compra de um terreno e projeto de construção em andamento da Casa de formação em Nampula –Moçambique.
    - Reorganização da gestão administrativa da Associação no Brasil – criação do Escritório Central e Organização do economato do Instituto e consolidação da Equipe  do Conselho Plenário de Economia. Para isso contamos com a preciosa assessoria do Irmã Manoel Alves, Marista.
    - Publicação da nova edição da Autobiografia – Rita Amada de Jesus e do livro Itinerário Espiritual do Pe. Florentino.
    - Criação da 1ª Paróquia Rita Amada de Jesus – na Diocese de Sto. Amaro – São Paulo –SP 23/09/10
    - Criação da Forania (Rede de Paróquias) tendo como Padroeira Rita Amada de Jesus em Franca – SP/2010.

 

    Ir. Leonir Tomazi, eleita com 39 anos de idade, jovem como é, tem sido uma superiora geral corajosa, firme, criativa, dinâmica, inteligente, orante.  Procurando marcar sua presença ativa nas comunidades e províncias e delegações. Atenta aos apelos e necessidades das irmãs. Aberta a investir na formação das irmãs a todos os níveis humano, espiritual, religioso e intelectual.
    A exemplo das primeiras irmãs procura viver simples, pobre com grande zelo e amor as irmãs e aos bens do Instituto.
    No exercício das suas funções procura na medida do possível ser fiel as deliberações e mandatos do capitulo.
    É destemida e audaz. Enfrenta com fé e determinação situações e projetos desafiadores do Instituto como a reforma da economia, novos projetos, abertura e fechamentos de obras consideradas ociosas, na abertura de novas missões. Exemplo disso é o novo país do México aberto em março/11.
    É incansável na assistência, acompanhamento e apoio das irmãs em terra de missão. Cabe-lhe a responsabilidade de manter vivo o carisma a espiritualidade e missão do Instituto e procura com grande zelo dinamizá-lo incentivando as irmãs nas diversas realidades e culturas, em que estão inseridas. Marca presença por meio das vistas canônicas feitas por ela e por suas conselheiras.
    “Irmãs! Sigamos animando-nos mutuamente. Sejamos mulheres de fé inquebrantável, fecundas em nossa consagração e geradoras de novas vocações, promovendo o crescimento do Instituto Jesus Maria José...” Ir. Leonir ( palavras da mensagem final do capítulo).

Please publish modules in offcanvas position.

Free Joomla templates by L.THEME